Ir para conteúdo

Escapamento

Como funciona o sistema de escape de um carro?

meuautomoveldicasescapamento1

O escapamento é um dos itens que os motoristas dão menos atenção na hora de realizar uma boa manutenção, mas é um dos componentes automobilísticos mais importantes.

A função dele é eliminar os gases que são gerados pela  queima da mistura ar-combustível de dentro dos cilindros. Esse sistema transporta as emanações devidamente filtradas para fora do automóvel e evita que passem para o interior da cabine do carro, intoxicando seu condutor e os demais passageiros.

Manutenção preventiva da peça

 

Sistema de Escapamento
Sistema de Escapamento

 

 

Como nosso país possui um combustível de má qualidade sendo comercializado nos postos de abastecimento, o escapamento acaba tendo sua vida útil diminuída em relação ao que foi de início planejado para esse sistema .

Sobretudo o catalisador, que é a parte que converte os gases em substâncias menos danosas ao meio ambiente. Hoje em dia, considera-se três anos um bom tempo de uso para o escapamento, por conta das impurezas e adulterações do álcool e, especialmente, da gasolina colocada nos veículos.

O motorista deve revisar o sistema por completo a cada três ou quatro meses, ou a cada 20 mil quilômetros rodados.

 

O sistema apresenta algumas peças básicas: o coletor de escape, sua tubulação, o silenciador, o catalisador e o abafador. Se alguma dessas peças for lesada, pode comprometer o bom funcionamento de todo o escape dos gases, gerar ruídos e até mesmo fazer com que o desempenho do veículo piore, inclusive gastando mais combustível e oferecendo um rendimento mais baixo.

Se houver batidas ou avarias nos tubos do escape, por exemplo, parte dos gases vai fugir sem passar pelo processamento de filtragem correta. Se houver estragos no silenciador ou no abafador, poderão ocorrer barulhos bem fortes.

Em geral, o uso de combustível adulterado ou de má qualidade é uma das principais causas de desgaste prematuro do escapamento. Mas se houver furos ou rachaduras em uma das peças, o caso pode acelerar o comprometimento também das outras. Além disso, os veículos que circulam pouco ou em trajetos de curta duração também encurtam a vida útil dos escapamentos.

Isso porque, quando o automóvel percorre trechos mais curtos, não há tempo suficiente para que o sistema atinja a temperatura quente ideal para a combustão, o que faz com que haja acúmulo de água na tubulação e precipite a corrosão.

Benefícios de se realizar a troca da peça

A recauchutagem ou os consertos rápidos de elementos do escapamento são procedimentos de mecânica que são muito realizados no Brasil. Porém, recomenda-se que, quando existe um furo ou avaria em alguma parte do sistema de exaustão, o componente ou todo o conjunto do escapamento seja trocado.

O ideal é que o condutor faça uma inspeção visual completa desse item ou vá até uma loja especializada para que os profissionais da área façam um check-up do escapamento.

A análise minuciosa do sistema e a substituição por peças novas, no caso de problemas, são as coisas mais prudentes a fazer, porque há o risco de algumas peças se soltarem ou de que ocorram ruídos intensos quando o carro estiver em uso. A corrosão pode fazer com que o escapamento se desprenda do carro, bem como a corrupção dos coxins, que são aquelas alças de borracha que prendem a peça na parte de baixo do veículo.

Uma coisa que é conveniente de ser lembrada é que o motorista pode levar uma multa, caso esteja circulando com o escapamento em mau estado, soltando fumaça em excesso ou tendo um alto grau de poluição sonora. Portanto, se o seu escapamento está em péssima condição, não hesite em trocá-lo!

 

Categorias

Mecânica

Tags